Proxxima
Meio & Mensagem

O caso Facebook só expõe as vísceras de um mal que já conhecíamos: o mundo não está preparado para o crime digital.

Buscar

Blog do Pyr

Publicidade

O caso Facebook só expõe as vísceras de um mal que já conhecíamos: o mundo não está preparado para o crime digital.

Não é apenas o despreparo e falta de comprometimento social do Facebook e de outros players digitais, nem o evidente despreparo do Congresso dos EUA, que nem sabia o que perguntar ao Zukerberg. É toda a sociedade em choque diante do poder dos algoritmos. Eles são os verdadeiros vilões. Ou melhor, aqueles que os criam.

13 de abril de 2018 - 7h48

E se o Zukerberg fosse pra cadeia e o Facebook fosse interditado para sempre, resolveria a situação de vazamento de dados do mundo?

Nem fudendo.

O problema é mega mais embaixo. Embaixo mesmo, na zona infra-tecnológica da concepção, produção e distribuição dos verdadeiros vilões dessa história toda de dados, os algoritmos.

Ou melhor, aqueles que os concebem, lustram e administram.

A gestão empresarial do Facebook foi negligente com esse assunto? Foi. Ela e praticamente todas as gestões empresariais de boa parte das empresas que lidam com dados e manipulam algoritmos. Isso desde a padaria do português digital da esquina ao Google e Facebook. Passando por todos os intermediários de dados da infindável cadeia digital planetária, as corporações em geral, os governos e, espante-se caro leitor, todos nós, incautos, despreparados e tontos usuários da web.

É uma cadeia de despreparo social que se retroalimenta na ignorância global de como lidar com algo tão pervasivo, tão preciso e tão invasivo.

Mete o Zukerberg na cadeia e os hackerks da Croácia vão achar outro jeito de fazer uma Cambridge Analitica na deep web

O Facebook foi só o jeito mais aberto, mais acessível e mais fácil. Mas pode ficar tranquilo quanto ao fato de que existem outros, um pouco mais trabalhosos talvez, mas também eficazes, de usar canais de relacionamento digitais para o mal. Muitos deles são, aliás, os mesmos que são usados “para o bem”, entendendo que o uso de dados digitais para construção de relacionamentos online sejam atividades comerciais legais.

Há, contudo, um subterrâneo de túneis que podem chegar a nós do mesmo jeito.

Vamos ter que tomar muito na cabeça ainda para aprender a lidar com isso.

A regulação do mundo digital é inevitável.

Meu medo é que não seja suficiente.

Compartilhe

Publicidade