Proxxima
Meio & Mensagem

Poder do Voto: app para usar depois das Eleições

Buscar

Blog do Pyr

Publicidade

Poder do Voto: app para usar depois das Eleições

Poder do Voto é um app para nós eleitores acompanharmos a vida política e ações dos candidatos eleitos. Um app digito-democrático, que coloca literalmente em nossas mãos o acompanhamento do que os representantes públicos fazem com seus mandatos. Vale baixar e já começar a usar.

9 de outubro de 2018 - 8h42

 

Transformando Desesperança em Mudança é o conceito do Poder do Voto, um app que acredita democraticamente naquilo que seu próprio nome explicita: que o voto tem poder. Tanto, que pode mudar as sociedades. Tanto, que precisa ser fiscalizado a partir do acompanhamento permanente do que é feito com ele por cada político eleito.

O App se propõe a colocar de forma atualizada os feitos das personalidades políticas indicadas nas urnas a sua vida pública. E coloca também em nossas mãos a possibilidade de acompanhar, mais de perto, o que nem sempre conseguirmos acompanhar apenas com os noticiários e as redes sociais.

Abaixo, uma entrevista com seu criador, Mario Mello, um executivo bastante bem sucedido que poderia perfeitamente estar tranquilo na vida, em vez de se meter em política. Veja quem ele é, porque está fazendo isso e como o app pode ajudar nossa vida daqui em diante.

 

  1. Você tem uma vida profissional anterior ao Poder do Voto que passa pelo mundo financeiro. Você pode dividi-la em grandes linhas conosco?

Sou formado em engenharia civil e comecei minha carreira no Bank Boston, onde trabalhei por 9 anos, tive a oportunidade de virar diretor com 26, eu sou muito grato pelas oportunidades que recebi. Depois trabalhei na Visa e transferido para os Estados Unidos, onde eu fiquei 7 anos. Voltei ao Brasil e trabalhei no Banco Real, onde eu fui diretor do estatutário de cartões e mercado imobiliário. Depois, fui para o Safra, para ajudar a família proprietária a introdução no mercado de varejo. Minha última posição foi como diretor e presidente da PayPal no Brasil e depois diretor e vice-presidente da PayPal na América Latina. Olhando um pouco pra trás, eu tive tremendas oportunidades, tive gestores brilhantes, que me deram muito espaço, me permitiram tomar riscos.

 

  1. Hoje você divide sua vida profissional entre sua carreira de executivo e a gestão do Poder do Voto? Por que?

Eu tenho 30 anos de mercado financeiro e mercado digital. Há dois anos, passei por um processo de revisão de carreira e vida pessoal e minha força motriz é a esperança. Muito preocupado com o Brasil, com rumos políticos, e eu aprendi na PayPal que o celular é o controle remoto do seu mundo, e o que ficou na minha cabeça é: por que não o de seu deputado federal? Por que não o congresso nacional? Por que não usar a tecnologia para facilitar, cobrar, e uma ferramenta prazerosa de cidadania e participação? Então esse foi o movimento, hoje eu não tenho funções executivas, participo de alguns conselhos e também sou investidor de algumas empresas.

 

  1. Como e quando nasceu o Poder do Voto?

O Poder do Voto nasce em um processo que começou há dois anos, quando comecei a questionar sobre futuro, futuro do país. Estou muito preocupado com a política, com o distanciamento e consolidei isso em agosto do ano passado, quando a reforma política não passa e eu verifico que essa reforma política aumenta o distanciamento dos cidadãos e o congresso. Nessa hora eu fiquei muito indignado, porque eles tinham a oportunidade de aproximação, de transparência e dessa indignação nasceu o Poder do Voto. Compartilho a ideia com alguns amigos que dão um apoio imediato! Criei uma instituição sem fins lucrativos, que foi ao ar agora em agosto de 2018 e estamos nessa jornada que eu chamo de “corrente do bem” . Trabalham conosco vários voluntários, empresas que trabalham por bônus, escritórios de advocacia, que estão apoiando o desenvolvimento e também recebi arrecadações de pessoas físicas. Essas arrecadações são cheques só de pessoas físicas e fundações, que ajudaram a construir o software como ele é e já preparar para lançar uma nova versão daqui a pouco.

 

  1. Como ele sobrevive?

Ele sobrevive de doações de pessoas físicas e fundações e de empresas que dão serviços pro-bono e voluntários.

 

  1. Conte em detalhes como os cidadãos devem usar o aplicativo.

A gente tenta resolver três problemas: Primeiro, a amnésia política: as pessoas não lembram em quem votaram. Segundo,  como acompanhar o deputado: hoje a quantidade de informações disponíveis é enorme, acompanhar e quando tiver uma votação de uma lei polêmica relevante, que impacta o dia a dia, você pode mandar sua opinião ao deputado, que é quem deve ouvir os eleitores. Nessa hora, cria o que a gente chama de “sintonia” entre você e seu deputado. A forma é colocar a tecnologia à disposição dessa sintonia, criando um instrumento de construção política, de opinião. Terceiro: como é que a gente vai poder responder se ele entregou o que ele prometeu? Só tem uma forma: ir acompanhando as leis relevantes, colocando a sua opinião antes de ele votar e dando o match se ele realmente te representa, quantas vezes ele votou igual a você, e o mais importante: se fizer esse investimento, no final a gente mostra qual deputado está mais alinhado com os seus votos.

 

  1. Explique como ele é atualizado sistematicamente e como as novas atualizações/informações chegam para o usuário?

A grande vantagem do Congresso Nacional é a lei da transparência, todos os dados dos deputados e senadores estão disponíveis em serviço do povo e os robôs do Poder do Voto captam essas informações. Estão atualizando de forma periódica, então se ele trocar de número de telefone, de página de facebook ou de e-mail, nós automaticamente atualizamos para os usuários eleitores não precisarem ficar atualizando o banco de dados. Também as leis estão totalmente disponíveis, fazemos a captura todas e um processo de ranking para ver a relevância, o impacto e a abrangência da lei e, quando ela fica próxima da votação, (7 a 15 dias antes ela ser votada em plenário), você poder dar sua opinião ao seu deputado. Então, é um sistema muito avançado, com várias bases de capturas e robôs dando autorização automática, mas o alicerce principal é a lei de transparência que permite a tecnologia trazer de uma forma simples, rápida e na palma da mão.

 

  1. Projete qual seria, em seus sonhos, o futuro do Poder do Voto?

O Poder do Voto é o sonho de dois anos e agora ele está se tangibilizando, é uma forma onde a força motriz é a esperança. E a gente tem objetivos muito ambiciosos. Acreditamos que podemos chegar a 50 milhões de usuários cobrando, participando e isso me enche de esperança. Eu sei que o desafio é enorme, mas pela simplicidade, pela clareza e pela importância que tem hoje o Congresso Nacional, eu acho que ele milita cinco minutos por semana a população brasileira, nós usuários e eleitores. Então essa esperança de ver um engajamento, uma participação e meu sonho é pegar também essa energia negativa, destrutiva e uma energia de debate, conflito para uma energia de construção. Em vez que xingar o deputado depois que ele votou, é melhor você perguntar para ele, recomendar a ele como votar, é você ter uma ferramenta de acompanhamento, uma ferramenta de controle.

Acreditamos no caminho da esperança, nossa força motriz,  porque não temos ideologia, somos apartidários e temos um espaço onde coexistem l várias opiniões,  permitindo que todos os brasileiros possam participar, construir e ter esperança de que o país está sendo bem conduzido e que o seu voto foi bem representado.

 

Transformando desesperança em mudança

www.poderdovoto.org

 

 

Compartilhe

  • Temas

  • política

  • aplicativo

  • eleições

  • poder do voto

Publicidade