Meio & Mensagem

Mobile Marketing vai muito além do banner

Buscar

How To

Publicidade

Mobile Marketing vai muito além do banner

Vários outros formatos já estão disponíveis proporcionando maior assertividade e ampliando como seu público se relaciona com a marca. a partir de um clique

19 de dezembro de 2016 - 14h36

Edison Maluf (*)

Como profetizado por muitos analistas, 2016 foi realmente o ano do mobile. Smartphones e tablets se consolidaram este ano definitivamente como poderosas plataformas de mídia que conseguem engajar os usuários com campanhas cada vez mais interativas. Atentos a tendência de atingir suas audiências a qualquer hora e em qualquer lugar, agências e anunciantes estão planejando e criando ações de publicidade para apps e mobile browsers que vão muito, mas muito além do banner.

Basta olhar para o lado para observar que já não conseguimos mais passar poucos minutos sem tirar o olho da tela do celular, trazendo às marcas o desafio de se comunicarem com seus targets em diferentes canais, o que fez do cross media uma estratégia mandatória para quem não está disposto a perder market share para concorrência. 

É bom despertar para o novo homo mobilis. Para conquistá-lo, é preciso ter claro que o Mobile Marketing já deixou, há muito tempo, de estar restrito ao surrado SMS promocional ou uma chamada inoportuna de telemarketing. Vários formatos, como TV Sync, Motion Ads, Weather Ads, entre outros, estão acessíveis para quem busca desenhar campanhas mobile ‘fora da caixa’ e customizadas de acordo com os hábitos de navegação, consumo ou até mesmo em função do clima. 

Afinal, de que adianta um anúncio de aquecedor se o consumidor está enfrentando o calor do verão do Rio de Janeiro? E de que vale hoje um filme na TV se a agência não consegue medir que retorno gerou na Web?

Através de uma poderosa plataforma DSP é possível estar conectado e integrado com a maioria das Exchanges, Ad Networks e SSPs globais, tendo acesso a uma grande parcela do inventário da publicidade mobile mundial. Dessa forma, uma campanha amplia fortemente seu alcance através de uma distribuição em centenas de publishers premium, que ajudam a maximizar o impacto e a performance das peças publicitárias em planos onde as métricas são absolutamente claras e qualificadas não somente por views, mas pelas ações efetivamente geradas, seja uma ligação para central de vendas ou uma compra efetiva.

A publicidade na ponta dos dedos

Dados da consultoria comScore indicam que 54% do tempo de navegação investido para o varejo aqui no país já é através das plataformas mobile. Nas outras regiões da América Latina esta tendência se mantém com a constatação que 66% dos usuários de smartphone efetuaram compras por meio de seus dispositivos móveis dentro dos últimos seis meses e que Brasil e Chile são os dois países que concentram o maior número de pessoas adeptas ao m-commerce no continente. 

O usuário de dispositivos mobile pode ser atraído por um anúncio ao visitar uma página web, abrir um simples aplicativo de serviços ou comprar via m-commerce. Com uma boa estratégia de marketing, é muito mais viável criar uma audiência relevante e atingir o maior número possível de potenciais clientes. Dicas fundamentais para a veiculação desta mídia são baseadas na sabedoria ao selecionar o seu público-alvo, na entrega de conteúdos de qualidade e na escolha deste espaço publicitário. 

Vários produtos estão disponíveis em diferentes formatos para a maior assertividade de sua audiência, proporcionando a possibilidade de seu público se relacionar com a marca a partir de um clique, recebendo uma mensagem de voz de uma celebridade ou então fazendo uma selfie para participar de uma promoção e compartilhando essa imagem em suas redes sociais. São ações aparentemente simples, mas que proporcionam uma grande interação para a pessoa impactada. 

É importante reforçar que sua mensagem precisa ser objetiva e que sua veiculação requer cuidado para não se tornar uma frustração para o usuário. Atrapalhar a usabilidade de uma página web ou fazer com que seu cliente se sinta literalmente “invadido” por um anúncio indesejável são práticas terríveis e que precisam ser evitadas. Por isso, é recomendável investir fortemente em analytics, conhecer bem o público a ser atingido, identificar em quais canais costuma estar presente e qual é a melhor forma de ativá-lo.

Para esta audiência, o mobile surgiu como uma alternativa que veio vencer a fragmentação da mídia tradicional e possibilitar que o anúncio chegue de forma adequada onde o seu público está, seja por meio de branded content, pre-rolls ou anúncios de vídeo, por exemplo. 

Aquela marca que opta pela publicidade mobile precisa ter em mente que o Brasil já conta com 80% de sua população com acesso a aparelhos smartphones, de acordo com estudo desenvolvido recentemente pela consultoria Deloitte. É um número 176% maior em comparação aos três anos anteriores e que iguala à média global. 

Esta acessibilidade já deixou de ser experimental há muito tempo. Seja através de serviços de transporte, delivery de comida ou reserva de quartos de hotel, esta tecnologia impactou a economia mundial e disponibilizou à publicidade uma nova forma de se relacionar com os consumidores. E então? Vai se ‘mobilizar’ ou assistir seus concorrentes rubarem sua clientela?

(*) Edison Maluf é sócio da operação da YDigital no Brasil

 

 

Compartilhe

Publicidade