Meio & Mensagem

Mercado de drones chega a US$ 127 bilhões

Buscar
Abstract blue light background for technology, business, computer or electronics products. Illustration for artworks and posters.

Notícias

Publicidade

Mercado de drones chega a US$ 127 bilhões

A utilização da tecnologia está cada vez mais frequente no mercado

Meio & Mensagem
17 de maio de 2016 - 11h00

A empresa PwC Europa divulgou um estudo que revela que o mercado mundial de soluções tecnológicas com o uso de drones já ultrapassa US$ 127 bilhões. Dentre os setores, o que mais demanda esta tecnologia é o de infraestrutura (US$ 45,2 bi), seguido de agricultura (US$ 32,4 bi), transportes (US$ 13 bi), segurança (US$ 10,5 bi), entretenimento (US$ 8,8 bi), seguros (US$ 6,8 bi), telecomunicações (US$ 6,3 bi) e mineração (US$ 4,3 bi).

O uso de drones varia de acordo com as necessidades dos diferentes setores da indústria, da agricultura e de serviços. Vão desde o fornecimento de dados em tempo real sobre o andamento ou monitoramento de uma grande obra, como uma hidrelétrica, passando pela pulverização de produtos em grandes plantações de soja ou em uma determinada região, até a entrega de remédios em áreas de difícil acesso.

Para chegar ao valor total, a empresa usou como base de cálculo o valor dos serviços demandados pelas empresas e que poderão ser substituídos, em um futuro muito próximo, pela tecnologia dos drones.

Algumas empresas já andam investindo no mercado de drones também. A Amazon divulgou em 2015 que já estava trabalhando com a possibilidade de utilizar os drones como um mecanismo de entrega de suas mercadorias, o Amazon Prime Air.

A Amazon informou que 86% de todas as encomendas feitas no site têm menos que 2,2 kg. Esse é o limite no qual os drones com oito hélices operam sem problemas, e por isso mesmo a empresa está tão empolgada com a novidade. Outra promessa da companhia é de que as entregas poderiam levar somente 30 minutos. Porém, esse prazo só valeria para endereços a até 16 quilômetros de distância dos centos de distribuição da companhia.

No mesmo esquema, o Google revelou recentemente o Project Wing, nome dado à aeronave não tripulada que o Google X – laboratório responsável por projetos como Glass e Contact Lenses – está desenvolvendo. Só que a novidade não visa capturar imagens para o Maps ou levar internet a lugares remotos: o drone está sendo criado para fazer entregas.

Uma equipe nas instalações da Nasa perto do Vale do Silício está liderando as tentativas do governo de criar um sistema de tráfego aéreo para os drones, apelidado de Gestão de Sistema de Tráfego Aéreo Não Tripulado. Mais de 100 companhias já expressaram interesse em participar das tentativas da Nasa e pelo menos 14 assinaram acordos para trabalhar com a agência, incluindo gigantes da tecnologia e comunicações, como Google, Amazon e Verizon.

Compartilhe

Publicidade