Proxxima
Meio & Mensagem

Por que a ADOBE comprou a Magento?

Buscar

Blog do Pyr

Publicidade

Por que a ADOBE comprou a Magento?

Consolidando-se como um dos mais importantes players de soluções digitais e tecnológicas para negócios, com a aquisição de Magento, a ADOBE entra no âmbito do suporte transacional direto de vendas, incorporando um braço de comércio a sua já diversificada suite de business experience. A ADOBE não é mais uma empresa. É uma plataforma. Como, aliás, todas as grandes do setor são e serão também.

29 de maio de 2018 - 8h28

A melhor explicação para a compra por US$ 1,6 bilhões da Magento pela ADOBE dias atrás está transparente, para quem quis ler, na carta que Jay Dettling, VP, Global Partners, publicou no site da companhia: “The Magento Platform brings together digital commerce, order management and predictive intelligence into a unified commerce platform enabling both B2B and B2C shopping experiences across a wide array of industries”.

É isso. A ADOBE, para além de ser uma corporação multi-posicionada em diversificados segmentos de tecnologia e soluções operacionais e de gestão para empresas (veja mais detalhado abaixo), entra agora numa nova era, a era da experiência de transação final na ponta do comércio, tocando de forma mais definitiva não apenas o B2B, mas também o B2C. Melhor … B2B2C.

Veja, a ADOBE vende seus produtos e softwares há anos para o público final. Nasceu assim. É, portanto, B2C desde a origem. Mas não com uma solução corporativa pesada de e-commerce, order managment e inteligência preditiva, como disse Mr. Dettling, como agora vem a ser o caso com a aquisição da Magento.

Mais que isso, a companhia segue tendência global de todos os grandes players do mundo empresarial de serviços e tecnologia, de se transformar em uma plataforma, deixando para trás e na história o ciclo que durou séculos, e que estruturou todo o capitalismo que conhecemos desde Jonh Ford, de empresas com ofertas e atuação em limitados ambientes de negócio.

Companhias deixarão de existir como empresas stand alone, para passarem a se constituir e serem partes de amplas plataformas de negócios, suportadas por tecnologias integradas.

Com essa política, a companhia entregou a seus acionaitas US$ 7.302 bilhões de revenues em 2017. Foi a corporação que melhor performou em bolsa nos últimos 5 anos, como você pode ver no gráfico abaixo, superando Amazon, Google, Facebook e sua arqui-rival, Salesforce.

A empresa vale hoje em bolsa US$ 120 bilhões, mais que Salesforce, menos que Oracle e, obviamente, bem menos do que Microsoft. Mas com Microsoft, a companhia tem uma relação simbiótica há muitos anos e rumores já circularam no mercado de aquisição da empresa pela sua parceira grandona. Hoje, atuam juntas como negócios complementares em vários clientes e operações.

CONCORRENTES ADOBE

Benchmarks
Salesforce.com 95.06B
Oracle 191.87B
Microsoft 755.72B

Vivendo na Nuvem

Fundada em 1982 como a fabricante pioneira de softwares para design, direção de arte e criatividade gráfica em geral no ambiente de comunicação, a ADOBE abriu capital em bolsa em 1986, e foi se diversificando barbaramente ao longo destes 36 anos, mas muito fortemente nos últimos 5, em que acelerou a entrada em outras áreas de serviços e softwares.

Hoje com 18 mil funcionários em todo o mundo, a plataforma, como comentei aqui, agrega, produz e distribui soluções em áreas diversas e complementares. Tudo na nuvem. Tanto que o coração das atividades da companhia (que ainda se chama Adobe Systems, mantendo o nome portanto de empresa de sistemas como antigamente se chamava o que a companhia fazia) o que a corporação chama de ADOBE Experience Cloud.

 

Chamar de “experience” e “cloud” não é pro acaso, nem trivial. Aí tem. Tem a lógica de negócios da companhia revelada.

Experiência porque tudo será experiência. As marcas e as indústrias em geral caminham para um mundo em que a antes chamada “comunicação” se tornará cada vez mais a vivência dos consumidores com suas ofertas de valor ao mercado. Ou seja, experiências.

E Nuvem porque tudo que é tecnologia que se preza é hoje em nuvem.

A ADOBE se divide em 4 nuvens: ADOBE Document Cloud, ADOBE Creative Cloud (onde nasceu), ADOBE Analytics Cloud e ADOBE Marketing Cloud. Magento deve ficar em baixo de uma dessas nuvens, possivelmente a de marketing.

Para se diversificar desse jeito e em tão pouco tempo, a companhia comprou um monte de empresas, como também fizeram todas as empresas de tecnologia e serviços que conhecemos.

A lista da ADOBE  de 2015 para cá é essa abaixo.

(*) Se quiser enxergar mehor e ver a lista completa das aquisições da companhia, clique aqui.

Ou seja, estamos acompanhando a diversificação, expansão e desenvolvimento de um dos grandes players da nossa indústria, com diferenciais que ninguém tem e uma estratégia que muitos hoje estão e perseguindo.

Mais mergers & acquisitons estão no caminho, porque essas empresas todas passarão por uma gigantesca e global consolidação.

ADOBE tem um ótimo cacife para fazer suas apostas. Vamos ver como o jogo se desenrola.

Abaixo, a carta de Jay Dettling na íntegra.

Dear Partners,

I’m reaching out to share news that we announced earlier today: Adobe has entered into a definitive agreement to acquire Magento Commerce, a market-leading platform for open commerce innovation. Having personally driven commerce solutions for 15 years prior to joining Adobe, I couldn’t be more excited about what this means for Adobe customers and our partners.

The Magento Platform brings together digital commerce, order management and predictive intelligence into a unified commerce platform enabling both B2B and B2C shopping experiences across a wide array of industries. Recognized as a Digital Commerce leader in Gartner’s 2017 Magic Quadrant for Digital Commerce, the Magento Platform will expand Adobe’s capabilities further, enabling real-time experiences across the entire customer journey.

While integrating the Magento Commerce Cloud into the Experience Cloud will provide Adobe with our own native commerce capabilities, we remain committed to the Adobe Commerce Program and its partners. We will continue to support and provide the open source commerce platform to our customers and are thrilled to welcome Magento technology partners — as well as Magento SIs and agencies — into the Adobe Partner community. Some of you are already part of Magento’s robust partner ecosystem. For all of our Partners, this acquisition will bring greater opportunity to grow your Adobe Experience Cloud practice across all customer touchpoints, delivering Adobe’s full value proposition plus your trusted advisor expertise to our joint customers. In addition to welcoming new partners to Adobe, we look forward to embracing opportunities with new customer brands that Magento will bring to Adobe.

See news.adobe.com for more information on the announcement. Once the deal closes, expected in Adobe’s third quarter of fiscal 2018, there will be more details to share around integration and offerings. Thank you for your continued partnership with Adobe. We have so much fun and exciting work ahead of us. Together we win!

Jay Dettling
VP, Global Partners, Adobe

Compartilhe

Publicidade