Proxxima
Meio & Mensagem

Fazer programática in-house dá certo?

Buscar

Blog do Pyr

Publicidade

Fazer programática in-house dá certo?

Para fazer programática dentro de casa, sua empresa precisa ter, inicialmente, uma clara filosofia e um roadmap previamente traçado para saber se esse movimento vai fazer sentido

27 de agosto de 2021 - 10h10

(Crédito: Reprodução)

Claro que sim.

Desde que você, anunciante ou até mesmo agência que não tenha programática (ainda) nos seu core, entenda, tenha e faça o seguinte:

1- Não é puxadinho. Para fazer programática dentro de casa sua empresa precisa ter, inicialmente, uma clara filosofia e um roadmap previamente traçado para saber se, de fato, esse movimento vai operacional e financeiramente fazer sentido e será, de fato, mais rentável do que contratar parceiros de mercado para tomar conta dessa tarefa, de resto, nada fácil; ou seja, planejar e metrificar bem, antes de tomar a decisão;

2- Como não é puxadinho, você precisa ter uma estrutura e uma equipe dedicadas, com alto skill técnico, para gerir e operacionalizar a programática in-house; é óbvio, mas tenho certeza de que tem gestores que imaginam que contratar um recurso junior espertinho resolve a questão; nada contra os recursos juniors, eles são demais e os admiro, mas sozinhos, não vão trazer a transformação necessária para a sua empresa, mesmo que ela seja uma empresa pequena (aliás, acho que empresas pequenas deveriam contratar terceiros e, ao crescerem mais um pouco, se não são do ramo, aí sim, pensar em trazer a programática para dentro de casa, se assim acharem melhor);

3- Terem certeza de que dominam com proficiência a complexa e intricada rede sem fim de plataformas tecnológicas com as soluções adequadas para sua empresa e para seus clientes, porque tem soluções de todos os tipos, muitas bastante semelhantes entre si, e quem não dominar esse emaranhado de ofertas, vai, certamente, fazer merda … ooops, desculpe … fazer as escolhas erradas;

4- Pensar antes, muuuuito profundamente, se não vale a pena ter alguém que monte e administre sua operação in-house para você, gente especializada, com um squad dedicado ou, dependendo do porte da sua demanda, toda uma estrutura integrada a sua companhia, como se fosse a sua própria companhia.

Assim, se você e sua empresa não estiverem seguros, não tiverem a consciência devida do pepino que é gerir programática dentro de casa, se não tiverem recursos suficientes ou necessários para atender sua própria demanda de maneira eficiente e rentável (porque só faz sentido você pensar no in-house programmatic se for para tornar essa atividade operacionalmente e financeiramente mais rentáveis e ágeis para sua companhia, certo?), então, caro (a) leitor (a), esqueça. Estruturas de mercado existentes, terceirizadas externas ou na própria forma do in-housing, mas gerenciados por outrem, serão, sem dúvida, a melhor opção. Eu disse, sem dúvida.

Fazer programática dentro de casa dá certo, sim. Com exceção de quando dá errado.

Compartilhe

Publicidade