Proxxima
Meio & Mensagem

Entrevistas remotas para o RH: Como capturar as características necessárias do mesmo jeito que antes

Buscar

How To

Publicidade

Entrevistas remotas para o RH: Como capturar as características necessárias do mesmo jeito que antes

Especialista em recrutamento compartilha dicas para auxiliar nos processos seletivos a distância e contratar com a mesma eficácia: "Contratar por meio de entrevistas em vídeo pode ser tão efetivo quando o processo tradicional."

ProXXIma
10 de abril de 2020 - 8h44

 

Por Tiago Yonamine (*)

Levar a rotina das empresas para o sistema de trabalho remoto em poucos dias trouxe uma série de desafios para a companhias brasileiras. Muitas delas paralisaram atividades que, em teoria, só poderiam ser completadas de forma presencial, como os processos seletivos. A boa notícia aqui é: contratar por meio de entrevistas em vídeo pode ser tão efetivo quando o processo tradicional.

As entrevistas virtuais devem ser guiadas pelas mesmas regras que as presenciais, passando, obviamente, por uma boa triagem dos currículos, mais com cuidados extras, como se assegurar que está com uma conexão de internet estável e posicionado em um ambiente calmo e silencioso.

Abaixo as principais dicas para usar essa modalidade de forma efetiva:

 

1- Priorize as chamadas de vídeos para observar a linguagem corporal

As chamadas de vídeo são importantes tanto para observar a linguagem corporal, quanto a eloquência e a clareza na expressão das ideias do candidato, sendo possível identificar suas reações e se está mentindo ou aumentando algo. A comunicação no momento da entrevista vai muito além da forma verbal, o corpo e as expressões também oferecem informações relevantes sobre a personalidade e postura do candidato.

 

2- Considere a vestimenta do candidato

O modo de vestir-se diz muito sobre o fit do candidato com a empresa. Em uma entrevista online, ele deve se vestir da mesma maneira que em uma entrevista presencial. Não é porque o candidato está no conforto de sua casa que poderá usar um pijama durante a conversa. A capacidade de interpretar essas situações também pode oferecer ao entrevistador uma visão da capacidade de adaptação e entendimento do candidato.

 

3- Avalie a interação 

Não é porque a entrevista será feita de maneira virtual que só o recrutador falará e que o candidato deve apenas responder às perguntas. Da mesma forma que acontece no encontro presencial, é necessário observar a interação com as perguntas e demonstrações de interesse pela oportunidade. Inclusive, ter a capacidade de construir uma conversa fluída em plataformas digitais é uma característica importante em diversas profissões modernas. Esse é um bônus do modelo em vídeo

 

4- Avalie o comprometimento

Assim como os candidatos se preocupam em serem pontuais em entrevistas presenciais, nas remotas o mesmo deve acontecer. Avalie se o candidato ficou online na plataforma escolhida no horário combinado. Outro sinal de comprometimento é o ambiente em que o mesmo escolheu, observe se é silencioso e calmo, isso demonstra a preocupação com a entrevista.

 

5- Faça testes com prazo de término

Os testes são válidos tanto em formato presencial quanto online. Mas como no online geralmente o recrutador não tem controle do ambiente, é recomendado utilizar programas que fazem restrição de tempo de cada resposta para que sejam as mais verdadeiras possíveis.

 

6- Faça dinâmicas em grupos

Saber trabalhar em grupo está entre as principais exigências das empresas no processo de seleção. Por isso, é importante utilizar plataformas que permitem interação com mais de uma pessoa, assim os recrutadores podem avaliar a interação de todos os candidatos entre si.

7- Problemas com a internet? Avalie a resolução
Um ponto único das entrevistas online (e muito comum) é que o candidato tenha problemas de conexão ou com a plataforma de vídeo, por exemplo. É interessante também avaliar como ele lida com isso, se é proativo em oferecer alternativas, se a reação é de nervosismo ou agitação. Isso pode oferecer dados importantes sobre como ele age sob pressão e como atua na resolução de problemas.

(*) Tiago Yonamine, especialista em recrutamento e CEO do trampos.co

 

 

Compartilhe

  • Temas

  • Trampos

  • trabalho

  • rh

  • EMPREGO

Publicidade