Meio & Mensagem

Google Marketing Live: o Google I/O para marqueteiros

Buscar
Publicidade

Notícias

Google Marketing Live: o Google I/O para marqueteiros

Lances para maximizar lift, responsive search ads e landing page speed score, entre outras novidades que dessa vez vão fazer a diferença para os profissionais

Pyr Marcondes
13 de julho de 2018 - 12h40

 

Por Henrique Russowsky (*)

 

O Google Marketing Live começou oficialmente nesta terça-feira (10), com o keynote de Matt Lawson, vice-presidente de Ads Marketing do Google. Além de reconhecer o crescimento do evento, que recebe esse ano 2.500 pessoas do mundo todo, ele fez questão de valorizar os parceiros de negócios do Google. Logo depois, subiu ao palco Sridhar Ramaswamy, vice-presidente sênior de Ads, que falou sobre a já anunciada mudança de nome da plataforma AdWords para Google Ads. Ele também falou sobre os princípios que orientam os esforços do Google em publicidade: ser valioso, transparente e confiável. Claro, também falou sobre machine learning aplicado a tudo isso.  Até aí, nada de novo. Mas a verdade é que novidades não faltaram.

 

Sem dúvida nenhuma, a mais surpreendente para mim foi a funcionalidade ‘Bid to Maximize Lift’, que permite dar lances com o objetivo de maximizar o search lift da marca. Isso significa uma mudança grande na mensuração das campanhas de marca.  Até hoje, ao planejar uma campanha, estabelecemos patamares de alcance e frequência, no intuito de gerar interesse pela marca ou produto anunciado. A partir daí, buscamos medir o sucesso das campanhas a partir de pesquisas de marca – online e offline – com o objetivo de determinar se as campanhas estão melhorando a métrica pesquisada. Com a nova funcionalidade, o Google usa machine learning para otimizar as campanhas de branding com foco contínuo em aumentar o interesse de buscas pela marca. Com certeza, tem o potencial de ser um divisor de águas na gestão de campanhas digitais. O lançamento ainda está sem data prevista, mas vale a pena ficar de olho.

 

No universo da busca, outro lançamento bastante útil foram os responsive search ads. Basicamente, assim que a funcionalidade estiver disponível, não será mais preciso criar anúncios de texto inteiros. O anunciante poderá criar uma diversidade de títulos e textos de descritivos de anúncios, e o próprio Google se responsabiliza por multiplicar as combinações possíveis e aprender qual se destaca com melhor resultado.

 

Além disso, o Google está fazendo um novo esforço para aumentar a preocupação dos anunciantes em melhorar definitivamente o tempo de carregamento mobile. Por isso, já está disponível na plataforma uma nova coluna chamada landing page speed score. A ideia é que, com essa informação, o anunciante possa tangibilizar ainda mais uma informação de extrema importância no processo de venda online, que hoje ainda não é encarada com a seriedade e empenho necessários.

 

Além desses lançamentos, também foram apresentadas as smart campaigns, smart shopping campaigns, local campaigns e hotel campaigns, entre outras novidades que recomendo fortemente procurar mais informações. Especialmente as campanhas locais, em que, a partir de alguns assets nativos, será possível promover um negócio localmente de forma simplificada em vários pontos de contato do Google, como nos mapas, no YouTube, na busca, entre outros. Funcionará de forma análoga as campanhas universais de app, com a diferença de que o sistema otimizará os investimentos tendo como foco maximizar visitas em lojas físicas.

 

O evento está realmente repleto de novidades. Trabalhei no Google de 2005 a 2009, uma época saudosa, mas também amadora (no melhor dos sentidos) da empresa. As coisas mudaram bastantes, sem sombra de dúvida. Especialmente em saber contar histórias de forma grandiosa. O Google Marketing Live se transformou hoje no Google IO para marqueteiros.

 

(*) Henrique Russowsky é sócio e diretor de mídia da Jüssi

 

 

 

Publicidade

Compartilhe

Veja também