Proxxima
Meio & Mensagem

50% ainda têm medo de sair de casa mesmo com flexibilização da quarentena

Buscar

Notícias

Publicidade

50% ainda têm medo de sair de casa mesmo com flexibilização da quarentena

41% acham que economia vai piorar e 27% continuarão trabalhando em home office Otimistas, 61% dos que perderam emprego acreditam  que devem conseguir um novo trabalho ainda este ano  Metade deve continuar usando máscaras mesmo quando não for mais obrigatório

ProXXIma
17 de julho de 2020 - 7h22

Apesar da flexibilização das medidas de isolamento social, 50% dos brasileiros ainda têm medo de sair de casa. É o que revela a Pesquisa Comportamental Pós-Covid-19, recém-lançada pela Go2Mob, empresa que oferece soluções integradas para o setor mobile com foco em mídia, dados, consultoria e pesquisa.

O estudo, que analisa a expectativa e o comportamento dos brasileiros com a flexibilização das políticas de confinamento, entrevistou pelo celular via SMS mais de 52,5 mil pessoas de todo os Estados do País e mostrou que a maioria tem esperança em conquistar um emprego ainda este ano, mas é menos otimista com a retomada da economia.

De acordo com o levantamento, 47% afirmaram ter perdido o emprego por causa da pandemia. Destas, 61% acreditam que devem voltar a exercer suas atividades ainda este ano. Para 27%, a economia deve melhorar. Já 32% acreditam que as coisas permanecerão iguais e 41% acham que vai piorar. 18% dos entrevistados disseram ter pedido empréstimo a bancos ou instituições financeiros e 46% destes não conseguiram obter crédito. Sobre os cuidados para evitar a contaminação, metade dos brasileiros pretende continuar usando máscaras mesmo quando não for mais obrigatório.

“Este estudo foi elaborado com o objetivo de oferecer uma visão ampla do que pensam os brasileiros sobre o fim do isolamento social. Embora ainda exista grande preocupação com a saúde, muitos estão na expectativa de voltar a fazer o que sempre fizeram antes da pandemia. Apesar das dificuldades, não são poucos aqueles que se sentem motivados a recuperar o tempo perdido. A maioria quer voltar a trabalhar o mais rápido possível, mas está descrente com a economia e ainda mostra receio em sair de casa”, avalia Alexandre Ribeiro, CEO da Go2Mob.

38% já criaram ou pensam em ter negócio próprio

Outro aspecto investigado pela pesquisa é a maneira como as pessoas que mantiveram seus empregos na quarentena devem trabalhar daqui para frente.  Segundo o levantamento, 27% continuarão somente em home office, ao passo em que 14% devem revezar entre dias de trabalho em casa e na empresa. Pessoas que ficaram ausentes de suas atividades e devem retornar agora somam 22%. Já 37% trabalharam normalmente durante todo o período de isolamento social.

O período pós-quarentena também deve vir acompanhado de uma onda de empreendedorismo. Segundo o estudo, 38% dos entrevistados afirmam já ter montado ou estar pensando em criar o seu próprio negócio.

Em relação aos hábitos de consumo, a pesquisa detectou novos comportamentos. Entre os entrevistados, 47% afirmam ter aumentado o volume de compras online durante a pandemia. Destes, 78% devem continuar comprando pela Internet mesmo quando o comércio reabrir. Porém, isso não deve afetar o desempenho de estabelecimentos físicos. Com o fim da quarentena, os locais que os brasileiros mais desejam visitar são praias e parques (38%), shopping centers (36%), bares e restaurantes (27%), cinemas e teatros (22%) e casas noturnas (22%).

Região Norte mais esperançosa com reconquista de empregos

Além de trazer dados nacionais, a pesquisa da Go2Mob também apresenta recortes regionais inseridos em quatro subdivisões. A primeira delas ganhou o nome de Mapa do Otimismo Pessoal e teve como proposta investigar como estão distribuídos os brasileiros desempregados pela pandemia, mas que têm expectativa de conseguir um novo trabalho ainda este ano. Os estados do Acre, Amazonas, Roraima, Pará, Amapá, Tocantins, Goiás e Santa Catarina são os locais onde as pessoas estão mais esperançosas, conforme mapa abaixo:

Brasileiros do AP, PI, CE e PE têm mais medo de sair de casa

Mapa do Medo revela quais são os estados em que as pessoas continuam com medo de sair de casa, mesmo após a flexibilização das medidas de distanciamento. Amapá, Piauí, Ceará e Pernambuco são os locais onde a população está mais temerosa, conforme mapa abaixo:

Brasileiros do AM e AP são os que mais deverão continuar usando máscaras após fim da quarentena

Por fim, o Mapa da Precaução mostra onde estão os brasileiros que pretendem continuar usando máscaras após o término do isolamento social no país. O cuidado deve ser maior no Amazonas e no Amapá:

 

Metodologia

Pesquisa Comportamental Pós-Covid-19 foi realizada pela Go2Mob durante o mês de junho. O estudo entrevistou 52.525 pessoas de todos os estados do Brasil via SMS. O objetivo foi conhecer a expectativa e o comportamento dos brasileiros com a flexibilização das políticas de confinamento por meio de perguntas sobre mercado de trabalho, economia e saúde.

Aqui o link para a pesquisa.

Compartilhe

  • Temas

  • pandemia

  • pós-pandemia

  • PESQUISA COMPORTAMENTO

Publicidade