Proxxima
Meio & Mensagem

Pequenas empresas confiam mais em fintechs que em instituições financeiras tradicionais

Buscar

Notícias

Publicidade

Pequenas empresas confiam mais em fintechs que em instituições financeiras tradicionais

Pesquisa realizada pela plataforma de busca e comparação de softwares Capterra mostra ainda que 51% das empresas consultadas utilizam os serviços das startups de finanças; soluções de pagamento e de gestão financeira são as mais usadas entre as PMEs.

ProXXIma
8 de setembro de 2020 - 8h00

 

As pequenas e médias empresas (PMEs) que adotam fintechs confiam mais em suas instituições financeiras do que aquelas que continuam utilizando os serviços de corporações tradicionais.

É o que aponta pesquisa realizada pela plataforma de busca e comparação de softwares Capterra sobre a adoção das startups inovadoras da área financeira entre as PMEs brasileiras. Para o levantamento, o Capterra ouviu 349 gerentes responsáveis pelas áreas financeira e de contabilidade ou envolvidos diretamente na tarefa nas empresas em que trabalham.

Segundo o estudo, 71% das PMEs que utilizam fintechs têm um nível de confiança alto (55%) ou muito alto (16%) nos serviços contratados, que entre as empresas que usam instituições financeiras tradicionais cai para 28% e 4%, respectivamente.

Do total de entrevistados, 51% afirmaram que os seus negócios utilizam os serviços de uma fintech para uma ou mais das sete seguintes áreas: pagamentos, gestão financeira/contabilidade, empréstimo/negociação de dívidas, investimentos, blockchain e bitcoin, seguros e financiamento coletivo.

As fintechs de pagamento (60%) e de gestão financeira/contabilidade (61%) são as mais usadas entre as pequenas empresas.

Boom de fintechs

O Brasil vive um verdadeiro boom de fintechs nos últimos anos. Segundo o último Mapa de Fintechs do Brasil, publicado pelo Finnovation no ano passado, o número de empresas do tipo em operação no país pulou de 377 em 2018 para 504 em 2019, um aumento de 34%.

As fintechs são inclusive a maioria entre as startups brasileiras que alcançaram o status de unicórnios, com valor de mercado de US$ 1 bilhão ou mais, de acordo com a Associação Brasileira de Startups.

Clientes mais satisfeitos

O nível de satisfação dos clientes também é maior entre aqueles que adotam fintechs: 57% dizem estar satisfeitos com os serviços contratados e 18%, muito satisfeitos. Entre as empresas que usam instituições financeiras tradicionais, os números baixam a 14% e 2%, respectivamente.

Três de cada quatro entrevistados aponta a praticidade como o principal motivo de sua empresa ter migrado para uma fintech em alguma das áreas analisadas e mais da metade (56%) destaca a menor burocracia para contratar serviços. Por outro lado, apenas um de cada três ressaltou a variedade de serviços oferecidos por essas instituições como motivo da escolha.

“Grandes instituições financeiras, como bancos, têm a capacidade de operar em diversos setores e oferecer uma maior variedade de produtos. Como podemos ver a partir dos dados, as fintechs utilizam a seu favor o fato de contarem com operações mais enxutas para focar em serviços destinados a atender demandas pontuais dos clientes de maneira mais ágil”, comenta o analista do Capterra responsável pela pesquisa.

Nos últimos meses, o Capterra tem investigado as mudanças trazidas pela tecnologia no setor financeiro, como a adoção de pagamentos com o celular entre os consumidores. Nas próximas semanas, a plataforma divulgará uma pesquisa global sobre o tema.

 

 

Compartilhe

Publicidade