Proxxima
Meio & Mensagem

Qual o desafio em implementar dados dinâmicos?

Buscar

Notícias

Publicidade

Qual o desafio em implementar dados dinâmicos?

André Ferraz, CEO e fundador da InLoco, fala sobre a Incognia, plataforma de biometria comportamental de localização, e novas métricas de geolocalização

Victória Navarro
2 de dezembro de 2020 - 8h00

 

André Ferraz, CEO e fundador da InLoco (crédito: divulgação)

Neste 2020, a InLoco lançou uma plataforma de biometria comportamental de localização para verificação e autenticação de identidade nos Estados Unidos, a Incognia. A ferramenta auxilia serviços financeiros e varejistas mobile a protegerem seus aplicativos contra a fraude de novas contas, o roubo de contas ativas e as transações fraudulentas. Ao ProXXIma, André Ferraz, CEO e fundador da companhia, focada em permitir que varejistas, carteiras digitais e fintechs elevarem a performance de seus aplicativos, revela a importância de implementar dados dinâmicos, da retenção de usuários e da anonimização de dados. Além disso, o executivo conta sobre a série de novas métricas de geolocalização, criada pela InLoco, para aplicativos, em tempos de novo coronavírus.

A implementação de dados dinâmicos
Hoje, dados dinâmicos são a melhor maneira de evitar fraudes. Qualquer forma de credencial com dados estáticos é vulnerável, pois, uma vez roubada, pode ser usada por qualquer pessoa que tenha posse. Embora mais complexa que uma senha, as biometrias como impressões digitais e imagens faciais ainda são credenciais estáticas. Uma vez roubadas ou forjadas, elas podem ser usadas por fraudadores para sempre. Já a biometria comportamental por localização muda de acordo com o comportamento do usuário. Então, além de não depender de nenhuma ação, também o protege dos fraudadores. O principal ganho está em oferecer uma experiência sem fricção para o consumidor. Por muito tempo a segurança digital foi associada à burocracia e à uma má experiência de uso. A biometria comportamental é um novo paradigma que permite, finalmente, combinar alta segurança com uma boa experiência para o consumidor. Nós temos exemplos de empresas que aumentaram em 38% as aberturas automáticas de contas, resultando em um crescimento de mais de 15% no número de novas contas abertas. Além disso, temos um caso de um banco digital que consegue autenticar com segurança mais de 80% das tentativas de login, sem a necessidade de fatores adicionais de autenticação.

Para melhorar a retenção, é necessário que os clientes tenham uma experiência excelente desde o cadastro

Reter é mais importante do que adquirir novos usuários
Costumamos dizer que não adianta colocar água em balde furado. Em aplicativos do setor financeiro, só 35% dos usuários que começam cadastros, de fato, o finalizam. Sabemos que também que 21% dos usuários abandonam o aplicativo após o primeiro uso e 71% deles deixam de usar o app ainda nos primeiros 90 dias. É mais inteligente, nesse cenário, tapar os buracos do balde para depois continuar colocando água, por isso retenção é uma das métricas mais importantes de um app. Para melhorar a retenção, é necessário que os clientes tenham uma experiência excelente desde o cadastro, com o mínimo possível de fricção, que é o que normalmente previne usuários de terminar essa etapa. Depois, também é preciso demonstrar seu valor rápido, de preferência já no primeiro uso, para que o usuário queira continuar usando o aplicativo. Por fim, é uma boa ideia buscar inserir o uso do app na rotina do usuário. Se ele vê valor em interagir com frequência com o app, ele terá poucas razões para desinstalá-lo. Ninguém tem paciência para preencher formulários longos, fazer cadastramento biométrico, digitar vários códigos de segurança, ativar tokens em agências bancários ou ligar para um call-center para ativar uma conta. Quem conseguir se livrar desses processos vai ter muitas vantagens no quesito retenção.

A anonimização de dados
A relevância em manter dados anônimos, no Brasil, ainda bem, está crescendo, ainda mais com a entrada da LGPD. Nos Estados Unidos, por exemplo, onde já temos negócios, esse é talvez um dos temas mais relevantes da atualidade. Acreditamos que empresas que não respeitarem a privacidade de seus usuários estarão fadadas ao fracasso, ainda mais no cenário em que regulações estão finalmente os permitindo que sejam donos de seus próprios dados. Na Inloco, o nosso valor número um é a privacidade. Dentro desse valor, sempre dizemos que não queremos saber quem são nossos usuários. Isso, porque não precisamos saber quem esse usuário é para poder verificar sua identidade e autenticá-lo por meio de seu comportamento de localização, e também não precisamos desses dados pessoais para entender o que para ele é mais relevante em termos de oferta. Coletando nada além dos dados de localização, que sempre passam por criptografia e agrupamento, conseguimos entregar todo o valor de nossos produtos mantendo os usuários anônimos, bem como oferecer conveniência e uma ótima experiência.

A relevância em manter dados anônimos, no Brasil, ainda bem, está crescendo, ainda mais com a entrada da LGPD

Índice de isolamento social
Logo no início da pandemia Covid-19, vendo a necessidade de todos manterem o isolamento, vimos que podíamos ajudar as pessoas. Então criamos o índice de isolamento social, que é um percentual diário que mostra o deslocamento de pessoas entre áreas de 400 metros quadrados. Uma região com percentual baixo de isolamento, por exemplo, mostra que muitas pessoas estão se deslocando para dentro ou fora dela, entrando ou saindo daquela região. Doamos esta informação para mais de 30 governos estaduais e municipais, para que pudessem atuar informando a população dos cuidados que deveriam manter para reduzir o risco de contágio. Além disso, também mantivemos a imprensa informada com os dados de estados e municípios, para alertarem a população. Nós também acompanhamos os resultados do nosso índice, como os da prefeitura de Recife, por exemplo, que desde a primeira semana de uso conseguiu alertar as populações de áreas com percentuais de isolamento menores do que a média. Isso trouxe muito mais assertividade para suas ações de conscientização e, como esse, tivemos uma série de exemplos no Brasil de outros estados e municípios parceiros.

*Crédito da foto no topo: NastyaSensei/Pexels

Compartilhe

Publicidade