Proxxima
Meio & Mensagem

Inteligência artificial norteia 702 startups no Brasil

Buscar

Notícias

Publicidade

Inteligência artificial norteia 702 startups no Brasil

Distrito Inteligência Artificial Report, realizado pelo Distrito, revela que, juntas, já captaram US$ 839 milhões, por meio de 274 rodadas, desde 2012

29 de janeiro de 2021 - 6h00

Inteligência artificial é uma das principais tecnologias do momento e já é indispensável em alguns setores, como serviços financeiros e varejo, por exemplo. Atualmente, o Brasil conta com 702 startups com aplicação de IA, que, juntas, já captaram US$ 839 milhões, por meio de 274 rodadas, desde 2012. Esses dados são do estudo Distrito Inteligência Artificial Report, realizado pelo Distrito, em parceria com a KPMG, Pixeon, Bosch e Stradigi AI.

 

As startups com aplicação de IA já atraíram US$ 365 milhões (crédito: reprodução)

O levantamento ainda revelou que, em 2020, essas startups atraíram US$ 365 milhões, via 44 aportes, e que a maior rodada de investimento ocorreu no último ano, direcionada à startup Único. Como em outros estudos, as startups que fazem uso de IA apresentam alto grau de desigualdade de gênero, sendo a maioria liderada por homens de 40 anos, em média.

Além disso, o estudo apontou as dez stratups que mais de destacam no setor, levando em consideração elementos como número de funcionários, visibilidade, investimento captado e faturamento. São elas: Semantix, Solinftec, RD Station, Cortex, Clearsale, Único, TakeBlip, Neoway, Zenvia e Revelo. Já as startups para se ficar de olho são: Inloco, Rebel, Quod, Amaro, Cyberlabs, Konduto, Pitzi, Olivia, Agrosmart, Idwall, Escale e Hands. Elas foram selecionadas de acordo com os mesmos critérios do Top 10, com peso maior para investimentos captados e visibilidade nas redes sociais. Também são instituídos alguns limites: só entram empresas fundadas depois de 2012 e com menos de 200 funcionários.

Para desenvolver o relatório, a companhia reuniu as startups brasileiras que empregam soluções e/ou oferecem produtos próprios baseados em inteligência artificial, entendida como um campo da ciência da computação focado em criar máquinas capazes de pensar e aprender. O campo mais amplo foi divido em quatro aplicações: Machine Learning, Deep Learning, Processamento Natural de Linguagem e Visão Computacional.

Além disso, as startups selecionadas também deviam se enquadrar nos critérios de seleção como: ter a inovação no centro do negócio, seja na base tecnológica, no modelo de negócios ou na proposta de valor; estar em atividade no momento da realização do estudo, medido pelo status do site e atividade em redes sociais; desempenhar atividade diretamente relacionada à tecnologia estudada; ter nacionalidade brasileira e operar atualmente no Brasil. Após selecionadas, as startups foram enquadradas em dois grupos: “setores”, aquelas que oferecem soluções de inteligência artificial especializadas, visando impactar um setor específico; ou “funções”, que oferece produtos e serviços com aplicações a diversos setores do mercado.

**Crédito da imagem no topo: koto feja/iStock

Compartilhe

Publicidade