Proxxima
Meio & Mensagem

Como a pandemia acelerou o uso de metodologias ágeis?

Buscar

Notícias

Publicidade

Como a pandemia acelerou o uso de metodologias ágeis?

Com a mudança forçada para o trabalho remoto, ferramentas se tornaram chave para produtividade e celeridade nas entregas

Taís Farias
10 de março de 2021 - 6h00

Populares no universo das startups, as metodologias ágeis foram criadas para garantir a excelência no desenvolvimento de projetos e evitar o desperdício de recursos e, principalmente, de tempo das equipes. Atualmente, os métodos ágeis são considerados bons aliados da produtividade para times de diferentes áreas de atuação. Mas, na prática, o que são as metodologias ágeis?

 

“O principal desafio à adesão da metodologia ágil é cultural”, diz Mariana Horno, da Robert Half (crédito: Major Tom Agency/ Unsplash)

Em um contexto de prazos reduzidos e uma baixa tolerância para erros, as metodologias ágeis surgem como uma alternativa aos métodos tradicionais de desenvolvimento de projetos. Em uma abordagem inicial, elas buscam solucionar problemas como etapas de produção muito longas, falhas na comunicação, problemas com definição de entregas, além do desalinhamento de informações entre equipes e clientes.

Para solucionar essas dores, as metodologias ágeis trazem a proposta de substituir longas fases de desenvolvimento por processos mais curtos, com entregas em menor espaço de tempo. Ao final de cada uma dessas etapas, o produto do trabalho é avaliado pela equipe e validado. Esses ciclos facilitam o alinhamento de informações entre as partes envolvidas e permitem que as equipes encontrem e solucionem as falhas operacionais com mais facilidade.

Apesar de, hoje, as metodologias ágeis serem enxergadas como parte importante da cultura de uma empresa, elas também podem ser aplicadas para resolver projetos pontuais e ajudar em processos de adaptação. Esse foi o caso das empresas que aderiram aos métodos ágeis depois de experimentar o home office forçado, causado pela pandemia da Covid-19. Com o desafio de se adaptar a um novo meio e não perder a qualidade da comunicação, a escolha por processos mais organizados de desenvolvimento de projetos foram a saída para produtividade de muitas empresas.

“A metodologia ágil, que já não era mais considerada uma tendência, mas algo que veio para ficar, intensificou-se ainda mais na pandemia, pois o foco é justamente no aumento da produtividade e organização das entregas, garantindo celeridade e êxito nos resultados”, afirma Mariana Horno, gerente sênior de recrutamento da Robert Half. “Com o home office e a necessidade de adaptação das empresas de forma abrupta pela pandemia, a metodologia ágil ganhou ainda mais velocidade e expansão”, completa a executiva.

Para Mariana, dentro das empresas, o principal desafio para aplicação das metodologias ágeis ainda é o mindset das equipes. Ela também aposta em um envolvimento das áreas de recursos humanos. “O principal desafio à adesão da metodologia ágil é cultural. Transformar a cultura de uma empresa, seja de pequeno, médio ou grande porte, é sempre um grande desafio. Dessa forma, mais do que trabalhar na frente de TI, se o desejo for disseminar a metodologia como forma de trabalho da empresa para obtenção de resultados, o principal investimento a ser feito deve ser na área de RH, para que a condução do engajamento dos funcionários na mudança de cultura aconteça da forma correta e eficaz”, indica a profissional.

*Crédito da foto no topo: Ajwad Creative/iStock

Compartilhe

Publicidade