Proxxima
Meio & Mensagem

O marketing digital nas estratégias voltadas à periferia

Buscar

Notícias

Publicidade

O marketing digital nas estratégias voltadas à periferia

Busca por consumo de produtos empresas que geram identificação de valores aumenta o trabalho hiper segmentado entre os anunciantes, afirma Ricardo Silvestre, da Black Influence

Victória Navarro
5 de agosto de 2021 - 6h00

Uma estratégia de marketing digital permite que, por meio do uso e da exploração de segmentações por interesses específicos ou por geolocalização, as marcas tenham maior chance de atingir o público desejado e, assim, de se aproximar com maior assertividade dos usuários da periferia, afirma Ricardo Silvestre, CEO e fundador da Black Influence, agência cuja proposta é conectar marcas à comunidade negra. “A internet, como um todo, é uma excelente ferramenta, capaz de trazer mais diversidade para qualquer estratégia de comunicação, uma vez que possibilita uma série de atuações e construções diferentes”, explica. Para estabelecer contato entre marcas e um público mais diverso, a escolha correta do influenciador tem a capacidade de potencializar o sucesso de campanhas e de ações. Ricardo sinaliza que o trabalho hiper segmentado entre os anunciantes vem crescendo, uma vez que, cada vez mais, as pessoas buscam consumir produtos e serviços de empresas que geram identificação de valores e propósitos. Para o Meio & Mensagem, o CEO e fundador da Black Influence também explica qual é o papel das startups focadas em atrelar tecnologia ao marketing e a comunicação no trabalho de influência.

 

Ricardo Silvestre, CEO e fundador da Black Influence (crédito: divulgação)

Meio & Mensagem – Como o marketing digital pode ajudar nas estratégias voltadas à periferia?
Ricardo Silvestre – Uma estratégia de marketing digital permite que, por meio do uso e da exploração de features, como as segmentações por interesses específicos ou por geolocalização, se tenha uma assertividade maior quanto ao público. Isso faz com que a mensagem correta chegue para pessoas específicas. Podemos pensar na aplicação dessa lógica para a periferia, por exemplo. A partir do uso estratégico das ferramentas de marketing digital, podemos alcançar esse público e entregar conteúdos extremamente relevantes, para consumidores de certas localidades.

M&M – Quais ferramentas digitais podem ajudar a trazer mais diversidade para a comunicação das marcas?
Ricardo – A internet, como um todo, é uma excelente ferramenta, capaz de trazer mais diversidade para qualquer estratégia de comunicação, uma vez que possibilita uma série de atuações e construções diferentes. O marketing de influência, por exemplo, é extremamente estratégico, porque consegue trazer um olhar mais próximo e humanizado via uso de influenciadores. A escolha correta de um influenciador, neste caso, tem a capacidade de potencializar muito o sucesso de uma ação. Isso só é possível a partir das ferramentas digitais que temos acesso hoje.

M&M – Qual é o papel das startups focadas em atrelar tecnologia ao marketing e a comunicação no trabalho de influência? A importância vem crescendo?
Ricardo – O papel das startups, a meu ver, é simplificar e automatizar, cada vez mais, os processos, mas é sempre importante também pensar na humanização como foco de tudo. A importância cresce, porque com o aumento da popularidade e do investimento no ramo, a necessidade de ter a tecnologia mais próxima também aumenta.

M&M – Considera que o futuro da influência é sobre ser relevante na mensagem e não só na imagem?
Ricardo – O futuro da influência é sobre ser relevante tanto na mensagem quanto na imagem, porque ambos precisam caminhar juntos. Essa é uma cobrança, inclusive, vinda dos seguidores e da própria audiência. Hoje, as pessoas buscam verdades naquilo que consomem. É notório o quanto as pessoas buscam por se verem representadas em, absolutamente, tudo que se propõem a consumir e, se de alguma forma, não enxerga legitimidade naquilo, isso deixa de ser um alvo de consumo.

M&M – O trabalho hiper segmentado das marcas vem crescendo?
Ricardo – Vejo um crescimento significativo, sim, porque é um facilitador, além de ser estratégico utilizar segmentações que fazem com que determinada mensagem chegue a determinado público e em determinado lugar. Esse tipo de estratégia se faz, cada vez mais, necessária, muito pelo fato de que as pessoas querem consumir aquilo que mais se aproxima delas. Isso faz com que as marcas entendam a necessidade de se aproximar de seus públicos.

*Crédito da imagem no topo: Nick Collins/Pexels

Compartilhe

Publicidade