Meio & Mensagem

TikTok: como marcas e criadores podem aproveitar o algoritmo

Buscar
Publicidade

Notícias

TikTok: como marcas e criadores podem aproveitar o algoritmo

Amanda Caliari, da Chango Digital, aborda as particularidades da rede e como os criadores podem aproveitá-las

Carolina Huertas
29 de março de 2022 - 6h00

(Crédito: Shutterstock)

Com mais de 1 bilhão de usuários ativos por mês, o TikTok segue em crescimento. A plataforma de vídeos se divide em dois tipos de timeline, a Seguindo, onde o usuário pode ver as publicações das pessoas que segue, e a Para Você, também conhecida como For you, na qual o algoritmo do aplicativo recomenda conteúdos diversos baseados em diferentes fatores como interações do usuário, informações do vídeo, interesses pessoais,  configurações de dispositivo e conta, como preferência de idioma, configuração de país e tipo de dispositivo etc. 

Apesar desse algoritmo de recomendação ser um dos maiores atrativos da plataforma, muitas marcas e criadores ainda não entendem como usá-lo a seu favor por ser diferente das outras redes. Amanda Caliari, sócia da Chango Digital, detalha sua percepção sobre a rede social e como as marcas e criadores podem se beneficiar do algoritmo da plataforma. A agência de influenciadores digitais acumula 250 milhões de seguidores de seus associados nas redes e mais de 3 bilhões de curtidas no TikTok.

Meio & Mensagem – Qual é a diferença do algoritmo do TikTok e como isso impacta a criação dos influencers?
Amanda Caliari – Acredito que a maior diferença do algoritmo do TikTok para as demais plataformas esteja na forma da distribuição do conteúdo. No TikTok, através da For You, o seu conteúdo é propagado para muitas pessoas e, na maioria das vezes, pessoas que nem te seguem. Isso faz com que o criador seja visto porque tudo que posta tem a possibilidade de alcançar um público que não alcançaria em outra plataforma. As outras plataformas também recomendam conteúdos? Recomendam. Mas quando entramos nas outras, estamos a fim de ver pessoas que seguimos ou coisas específicas. Agora, quando entramos no TikTok não, você está disposto a receber conteúdos de outras pessoas, a curtir, a compartilhar, a seguir essas pessoas.  

M&M – Quais as vantagens da rede para criadores e marcas?
Amanda – O algoritmo tem impacto positivo na carreira do influenciador. Porque através da propagação de conteúdo, que permite que novos públicos tenham contato e acessem a tudo que é postado, ele consegue crescer mais na plataforma, consegue promover mais o trabalho. É um impacto bem positivo, tanto que é muito mais fácil crescer no TikTok do que em qualquer outra plataforma. O TikTok está em extrema atenção e acho que não vai parar por aí, a tendência é expandir mais. Acho que essa é a grande vantagem tanto para os criadores quanto para marcas. E uma plataforma que, apesar de ter iniciado com público de baixo poder de compra porque são pessoas mais novas, já vem conquistando um público mais velho, com poder de compra. Tanto para os criadores quanto para as marcas estar na plataforma é importante, porque se consegue alcançar o público-alvo, seja para comprar algo ou para seguir. 

M&M – Qual parte do algoritmo vocês acreditam que as pessoas ainda têm dificuldade de entender?
Amanda – A maior dificuldade das pessoas em entender o algoritmo é porque não conseguem entender o público de cada plataforma. Quando entendem seu público, entendem quem são na plataforma, qual é a identidade, o que querem produzir etc. Diferentemente de outras plataformas, no TikTok tem que ser o mais original para dar certo. Essa é a grande dificuldade das pessoas, serem elas mesmas e conseguir ter essa conexão com o público. Mas, em paralelo a isso, acho que as pessoas não conseguem performar muito bem no TikTok por falta de persistência, porque o algoritmo precisa de constância ainda. Claro que existem pessoas que vão postar mais ou menos e aí tem que analisar cada perfil, cada segmento, mas a constância faz toda a diferença. E não é porque um vídeo deu 1 milhão de views que o próximo vai dar 1 milhão de views também. Geralmente, as pessoas ficam motivadas através do engajamento que têm, mas, mesmo não estando com engajamento tão legal, continuarem postando, fazendo algo legal, conteúdo com qualidade. A tendência é que dê certo, todo trabalho gera resultado.  

M&M – Qual é a expectativa do aumento do uso de algoritmos como esse nas redes sociais?
Amanda – O aumento do uso do algoritmo das redes sociais é algo que possibilitará que as pessoas recebam mais conteúdos que, de fato, querem receber, que as empresas consigam se comunicar melhor com seus clientes porque o algoritmo permite ter estudo personalizado do que cada pessoa quer receber, comprar ou precisa. Quanto mais desenvolvido o algoritmo tiver, mais esses dados vão se tornar assertivos. 

M&M – Quais dicas vocês dão para criadores e marcas que querem produzir na rede?
Amanda – A melhor dica que posso dar para quem quer começar é primeiro entender o que que quer fazer. Qual é o nicho a que quer pertencer? É moda? É beleza? É humor? Entretenimento? Não importa. Independentemente do que se quer fazer, sempre tem um jeito de ser diferente do que o outro está fazendo. Os seres humanos são únicos, se você é criativo, se consegue perceber o seu melhor lado e qual é o seu talento, sua forma mais desenvolta de falar etc. Isso tudo faz com que já chegue com o conteúdo que tenha um destino, saber onde quer chegar é muito importante antes de começar qualquer coisa. Depois disso, é manter boa qualidade de audiovisual, não desistir, independentemente se não tiver muitas pessoas vendo o seu conteúdo, uma hora isso vai dar certo. Notar quais são os conteúdos que mais engajaram, ou seja, tiveram mais curtidas, mais comentários e tentar fazer mais conteúdos desse jeito. Essas são algumas dicas que costumamos dar para influenciadores que entram na agência e que eu poderia dar como algo para qualquer pessoa que iniciar na internet. 

Publicidade

Compartilhe

Veja também