Proxxima
Meio & Mensagem

As redes sociais no mundo work from anywhere

Buscar

Opinião

Publicidade

As redes sociais no mundo work from anywhere

É nessa que eu vou no mundo Work from Anywhere: usando as redes sociais como uma grande ferramenta para me aproximar das pessoas do trabalho, clientes e indústrias

9 de março de 2021 - 6h00

Alexandre Siqueira (crédito: divulgação)

Você chega de manhã no escritório, liga o computador. Passa na mesa dos colegas e vão todos pra copa. Tomam um cafezinho e ali você aprende que a Fernanda está fazendo um curso de fotografia e vai viajar para tirar fotos. O Eduardo, olha a coincidência, descobriu no final de semana que também é amigo da Carina e do Leo, seus amigos de faculdade.

Corta pro almoço. O Eduardo te chama pra almoçar e junto com ele vão também a Luciana e a Roberta, do Jurídico, que você nunca havia conversado antes e teria uma reunião ainda essa semana. Que já começou mais leve depois do super agradável papo durante o almoço.

Tá bom, você pegou o ponto. Nesse modelo todo mundo remoto, fica muito mais difícil pra gente conhecer as pessoas, o que elas gostam, descobrir afinidades. E também conhecer novas pessoas do escritório, a não ser que vocês tenham uma razão de trabalho para se falar.

Durante a pandemia surgiram algumas iniciativas como os cafés virtuais, na tentativa de compensar a falta dessas conversas informais, que, no final do dia, são importantíssimas para fortalecer a cultura da empresa e os laços de afinidade e cumplicidade entre as pessoas.

Mas eles não são suficientes. Não é a mesma coisa. 

E aí, entram as redes sociais, no seu sentido mais original e literal.

Mesmo depois da pandemia, vamos ter um modelo de trabalho híbrido. Work from anywhere. Algumas pessoas ainda irão todos os dias ao escritório. Outras, alguns dias na semana. E outras, alguns dias no ano apenas.

As redes sociais – Instagram, Facebook, Linkedin, Twitter, Clubhouse e qualquer outra que surgir por aí – podem ser ferramentas muito úteis para que, mesmo que virtualmente, consigamos conhecer as pessoas. Porque, no fina do dial, as empresas são feitas de pessoas e um ambiente onde as pessoas se conheçam além das suas habilidades dentro da companhia, é mais rico, mais leve e as coisas fluem melhor.

A gente deveria voltar a usar a rede para o que elas servem melhor: conversas. Se nos últimos tempos elas acabaram indo mais para um lado de super-ego ou de polarização, é hora de pensarmos nelas como se fossem a cafeteria do escritório.

Dei uma olhada nos meus posts dos últimos tempos com esse olhar mais crítico. Estou sendo genuíno, autêntico, puxando conversas, entrando em conversas, conhecendo novas pessoas, ouvindo, ajudando, contando minhas histórias pessoais como se fosse um bate-papo com um amigo e não uma descrição de vitórias e proezas?

É nessa que eu vou no mundo Work from Anywhere: usando as redes sociais como uma grande ferramenta para me aproximar das pessoas do trabalho, clientes e indústrias. Uma maneira de mostrar quem é o Alexandre além das reuniões de trabalho.

Minhas redes são todas abertas e te convido a nos conectarmos. E conversarmos.

*Alexandre Siqueira é diretor de customer success na Salesforce

Compartilhe

Publicidade