Meio & Mensagem

Opinião – Muito além de uma conexão

Buscar
Publicidade

Opinião

Opinião – Muito além de uma conexão

Enquanto as águas de março vêm fechando o verão, em terra, os aeroportos do Brasil dão um show em possibilidades de mídia e experiência para as marcas

9 de março de 2022 - 6h00

Aeroporto Internacional de Guarulhos e Aeroporto de Brasília estão no portfólio da JCDecaux (Crédito: Divulgação)

O Brasil contabilizou mais de 62,5 milhões de pessoas voando pelo país em 2021. O número representa um crescimento de 20,4% na comparação com o ano anterior, considerando os 51,9 milhões de passageiros que trafegaram pelos aeroportos do país em 2020. Esses dados foram divulgados em janeiro de 2022 pela ANAC e reforçam a retomada gradual do turismo brasileiro ao longo do último ano.

Desde abril de 2021, a quantidade de pessoas voando pelo país segue um ritmo de crescimento mês a mês, mas o destaque foi o mês de dezembro, que registrou o maior volume de pessoas transportadas desde janeiro de 2020: 7,7 milhões de passageiros em voos dentro do país. Esse índice é o que mais se aproxima do cenário pré-crise sanitária e representa o maior volume de passageiros pagos transportados nos aeroportos brasileiros nos últimos 21 meses.

Com o aumento de passageiros, os aeroportos já vêm se preparando e se modernizando para um novo momento da aviação civil brasileira. Hoje são 22 aeroportos concedidos à iniciativa privada, sendo que 12 foram leiloados recentemente, em 2019. Para 2022, chegaremos a 38 aeroportos, visto que o governo vai leiloar mais 16, entre eles Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

Entre as chegadas e partidas, seja a trabalho ou férias, estamos falando de mais de 60 milhões de consumidores potenciais que movimentam a economia. Um público perfeito para ser impactado pelas marcas no Brasil. Nesse céu azul, a publicidade nos aeroportos se destaca como o meio de comunicação de maior prestígio.

Encomendada pela JCDecaux, uma pesquisa realizada com 6 mil consumidores na China, França, Alemanha, Reino Unido e nos EUA mostra que a propaganda aeroportuária confere status e a crença de que um produto é mais valioso.

No índice criado pela ResearchBods, a audiência nos aeroportos teve pontuação de 111 em value – ante 101 de TV, 100 de revista impressa, 95 de redes sociais e 94 de site – e 113 em prestígio – enquanto TV teve pontuação de 99, revista impressa de 98, redes sociais de 99 e sites de 99.

A ResearchBods conduziu a pesquisa de maneira online, usando duas marcas fictícias (uma marca de perfume de luxo e uma marca de tecnologia business-to-business) e mediu as respostas dos consumidores ao ver o visual de um criativo de cada marca exibido em um dos cincos ambientes de publicidade. Foram recrutadas 6 mil pessoas, 1.200 pessoas em cada um dos cinco países (China, França, Alemanha, Reino Unido e EUA), seguindo o estudo da seguinte maneira:

Marca de luxo fictícia: os entrevistados viram um anúncio de uma marca fictícia de perfume de luxo, ‘L’Amour’, em apenas uma mídia relevante para seu mercado. Eles foram questionados sobre o que esperariam pagar por aquela marca (em sua moeda local), escolhendo uma faixa de preço. Os resultados foram indexados, de forma a permitir uma comparação entre os mercados.

Marca fictícia business-to-business (B2B): os entrevistados viram o visual de um anúncio de uma marca fictícia de tecnologia B2B, “Connex”. Foi perguntado a eles: “Quão prestigiosa você acha que esta empresa é em uma escala de 1 a 10, sendo que 1 não tem prestígio e 10 é muito prestigioso?” Os resultados foram indexados de forma a permitir uma comparação entre os mercados, em termos do prestígio relativo dos ambientes publicitários no seu país.

Em resumo: a publicidade em aeroportos eleva o status quo da marca.

Olhando para o mercado brasileiro, duas empresas se destacam em excelência na mídia de aeroportos.

A Neooh, que tem como CEO Leonardo Chebly, um dos melhores executivos do Brasil no segmento de mídia aeroportuária, que atua em mais de 30 aeroportos com produtos digitais e estáticos. Há 44 anos, a empresa vem acompanhando a evolução da mídia OOH, trazendo inovações tecnológicas e interativas para o mercado.

São especialistas no conceito Phydital Experience, que é a integração do físico com o digital, mídia OOH geolocalizada e mobile, acompanhando, assim, a audiência em toda a jornada, ampliando a cobertura e a eficácia das campanhas. A pesquisa de 2019, Nilsen Out of Home Advertising Study, mostra que 66% das pessoas impactadas pelo OOH interagem com a marca no digital.

Liderada pelo entusiasta Rodrigo Kallas, a Kallas Mídia OOH opera em 35 aeroportos, sendo 29 exclusivos com circuitos de videowalls, circuitos de air mub com veiculação semanal, painéis estáticos, carrinhos de bagagem, projetos especiais e ações de live marketing. São formatos, soluções e projetos tailor made que se adaptam às necessidades do mercado anunciante. Se não dá pra fazer, a Kallas faz. Acompanhando todo o movimento de digitalização dos painéis, os produtos digitais da Kallas melhoram a experiência das marcas, embelezam os aeroportos, dentro de um padrão com nível internacional de qualidade.

Com o aumento do número de passageiros e as novas privatizações, que melhoram a infraestrutura e o serviço, a exploração de mídia nos aeroportos do Brasil ganhará um papel fundamental nos planos de mídia das agências e clientes.

Sendo assim, amigo anunciante, se a mídia OOH em aeroportos não está no seu plano de mídia, reveja seu painel de bordo. Informe-se sobre o meio, invista e aperte os cintos, porque você verá a percepção da sua marca decolar em 2022.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Inovação em momentos desafiadores: é possível?

    Inovação em momentos desafiadores: é possível?

  • Novidades da Apple em sua conferência global e como elas impactam as marcas

    Novidades da Apple em sua conferência global e como elas impactam as marcas

    Estamos, nós, criando e executando soluções adaptadas também para esse público? Deixo esse tema para uma próxima oportunidade.